Praça General Osório: um centro de pura arte

Feira Hippie de Ipanema, tem sido
cada vez mais freqüentada e reconhecida

*Wilma Amaral

A propaganda, ou Marketing Direto trouxe fama à Feira Hippie de Ipanema até os dias de hoje. O chamado boca a boca foi, e ainda é um dos nossos aliados na promoção do evento. Nada disso seria eficaz se não fossem os trabalhos que aos domingos são expostos na Praça General Osório. As novas tecnologias entraram em cena e estão sendo usadas para facilitar a vida de centenas de artistas plásticos e artesãos, mostrando os seus trabalhos.

A feira foi criada no final dos anos 60, por um grupo de jovens artistas plásticos e artesãos do Movimento Hippie. A dificuldade de aceitação nas galerias de arte estabelecidas, foi a força motriz necessária para que aqueles artistas, até então desconhecidos, ganhassem o seu espaço. Nomes como os de Victor Hugo, Marco Rica e Romanelli frequentaram as calçadas da Praça General Osório nos anos 60 e 70.

O bairro, que ficou imortalizado com o surgimento da bossa nova, ganhou mais um atrativo: os hippies e seu artesanato. Mesmo com o passar do tempo, a Feira continua jovem e renovada; e hoje, tradicional, é visitada não só por cariocas assíduos, como por turistas do Brasil e do mundo inteiro, que chegam em busca das expressões populares da nossa cultura. Atravessa já quatro décadas ininterruptamente, sendo mundialmente conhecida e apreciada, tanto por seus trabalhos sempre criativos e inovadores como também por seus clássicos.

Lá você encontra de tudo: móveis rústicos, artes em couro, em madeira, pinturas, jóias, bijuterias, etc. E ainda conta com restaurantes e lanchonetes, pela redondeza da praça.

O Natal já está aí! Neste final de ano, nada melhor do que dar uma passadinha na Feira, pra olhar “as modas” e garantir o presente da galera. Tem pra todos os gostos.

A feira se moderniza a cada domingo e faz parte do roteiro turístico da Cidade Maravilhosa. Ela é a maior galeria de artes e artesanato do mundo, ao ar livre.

Funciona das 7:00 às 19:00 horas, todos os domingos, sem exceção, desde 1968.

*Wilma Amaral é estudante de Jornalismo da UniverCidade.

Anúncios