EAD um ensino que dá certo

Com tecnologia, estudar e se formar no conforto de casa

*Christine Pedra

A informação está em todo lugar. Cabe àquele que se propõe a estudar definir o que realmente interessa e qual é a que deve servir para o alcance do objetivo final. Mais de um milhão de alunos estudaram em instituições de ensino a distância credenciadas pelo MEC – Ministério da Educação, em 2009.

A tecnologia de um computador com internet, requisito básico para a inscrição em um curso de educação a distância, com as suas videoconferências, teleconferências, seminário, vídeo aulas e fóruns, de nada vão adiantar sem os fatores disciplina e responsabilidade.

O que caracteriza um curso deste tipo é a flexibilidade de horário. A regularidade de algum tempo de dedicação diária é de muita importância.  O acúmulo de aulas sem a devida atenção, pela liberdade que esta modalidade de curso permite pode vir a se tornar uma grande dificuldade. Para o ato de estudar a autodisciplina, a humildade e o senso crítico são fundamentais. A distribuição do uso do tempo para ler e estudar pontuando e fazendo observações nos textos, para descansar, para o lazer e, para alimentar-se adequadamente, são de muito valor na absorção do conteúdo pretendido. Nem sempre é fácil fazer com que os outros, que moram na mesma casa, entendam a necessidade de concentração na hora do estudo. Mas nada que uma boa conversa não resolva e que este tempo seja respeitado sem interrupções.  A organização do material, tanto no conteúdo do estudo – livros, revistas, formação de uma biblioteca na área de interesse, quanto na área física – espaço e ambiente adequados, mesa, cadeira, iluminação, é fundamental.

O interesse é também um dos pontos importantes a ser considerado. O curso e o aluno devem estar realmente envolvidos. A clareza e a objetividade nos assuntos ou temas  abordados assim como as informações, respostas e comentários  dos tutores são fatores relevantes e valiosos  para que o aluno não perca o interesse e para a manutenção da boa qualidade de um curso a distância.

Materiais mais elaborados, auto-explicativos, com mais desdobramentos de links, textos de apoio e glossário, e exercícios bem elaborados, que façam os alunos pesquisarem, devem fazer parte do curso. As atividades devem ser montadas por equipe uma interdisciplinar, com pessoas das áreas técnica e pedagógica.  Ter tutores capacitados que leve os alunos ao intercâmbio, a troca de questionamentos e informações. Devem criar vínculos. Um bom ensino a distância não é só uma aula disponibilizada pela internet passada pela tela do computador com alguns exercícios a serem respondidos ao final. Tem que motivar, ter troca de idéias entre professores, tutores e alunos. E para que haja esta interação é necessário um planejamento de aula bem elaborado, bem criterioso, atiçando e prevendo os possíveis rumos para os debates. Só se consegue passar ao outro aquilo que se compreende e se entende. E é através das técnicas e métodos de estudo, da criação das aulas e com ajuda das tecnologias que a informação pode virar ferramenta para a obtenção da capacitação.
 
* Estudante de Projeto de Jornalismo On-line da UniverCidade

Anúncios